sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Quisera eu, meu amor
Que todos os problemas
Fossem facilmente resolvidos
Com um simples toque de racionalidade lúcida...

Mas, Deus... Por que esse coração de poeta?

Quisera eu
Que bastasse dizer basta
E tudo bastaria
E, já amanhã,
Seria um outro e lindo dia...

Mas, Deus... Por que essa mente de poeta?

Quisera eu
Os sentimentos não exercessem tanta influência
Que não cobrissem o clarão da experiência
Que não machucassem a razão
Para não fazermos o que não queríamos
O que não esperávamos
Para não pensarmos o que nos consome...

Mas, Deus, quem somos nós, quando sofremos dessa agonia?

Quisera eu, meu amor
Que você me quisesse...


Mas você não quis.




Ao diabo toda racionalidade.

Deixe doer
Se só dói em mim.

Para que entender
Só porque poderia ser
Só porque temos o vício do ideal?

O ideal é compreender que não existe ideal
O ideal é se entregar
Ao que se sente
Sentindo é que se aprende

Esquecer as teorias
Correntes...
Teorias são só teorias.

Fale para si mesma: é fácil falar.

Vide a vida
Por mais razão que se tenha
Por mais conhecimento que nos venha
Sempre prevalece o mistério
Império natural dos sentidos.

Nós temos o poder de pensar
Nós todos desejamos não sofrer
Mas se a dor não fizesse parte da vida
Eu até aceitaria...

Mas, se é inerente, se dela tanto aprendemos,
Por que essa teoria?

Quisera eu, meu amor...

Não te querer.


Mas, tudo bem, racionalmente, eu aceito.


Mas você fica com sua racionalidade...




Que eu fico com a minha poesia.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Estão todos equivocados

Inclusive, eu.

Mas, entre todos os equivocados

No que mais confio...

É em mim mesmo.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Não é o que você é
É como o outro interpreta


Não interprete mal.
Se é o que você é
Se é autentico
Faça tudo o que um exibido faria.

Mas se você for só um exibido
Faça o que você fizer...

Sempre me soará estranho.


E tenho visto tantos.


Apenas faço...

Versos.

Tanto em livros
Como em vida.

Podem até não gostar de nenhuma das minhas poesias


Mas, o que me dá um sono tranquilo..,


É que ninguém poderá me acusar.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Eu já tinha esquecido

De como é doce

A sensação

De esquecer alguém

Consumar

O que antes te consumia

Quando este...


É um trabalho forçado.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Que eu viajo pra caralho, não tenho dúvida

A questão

É se você vai viajar comigo

Ou se vai ficar aí

Toda me estranhando

Me chamando de viajão.
Acho engraçado
Quando algum amigo
Sobre esse meu jeito de ser
- Quero ver quando um dia você explodir.
Sorrio, e sempre penso:
Até eu tenho medo.

Mas não se preocupem
Eu bem me conheço
Eu bem estou me conhecendo
Direciono para o lado do bem.

Aliás, de repente, já explodiu.

E o que vocês veem por aí...



São os pedaços voando de mim.