sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Não que eu esteja com raiva
Ou seja contra, meu amor
Eu só senti que poderia ser diferente
Para ser melhor
Não para mim
Mas sim...

Para nós dois.

Desfaçamos os nós
E façamos o nós.

Não faço questão da razão...


Só quero que dê certo.


E quando não há nada que você possa fazer
Não dá nada

O que importa
Venha a tempestade de que lado for
É não naufragarmos...

por motivo de agonia.

Se preciso for
E até onde eu aguentar
Sem me afogar...

Farei o que preciso for.

Doarei-me, sempre, mais um pouco
Com ou sem dor.


Desfaçamos, com calma, desarmemos, as almas, as correntes.


Se a corda tiver de ser cortada,
que se corte, que se rompa, que arrebente...

Mas sozinha.


Queira Deus
Que não seja
Nenhum de nós
Que venha ...






A cortá-la.  

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Espanque-me com a verdade, por mais dolorida que seja...

Aguentarei.

Mas, jamais, toque-me, por mais leve que seja...

Com a mentira.




Desabarei.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Não quer enfrentar as feridas da vida, encarar a si mesmo

E quer encontrar Deus

Sem saber que,

No fundo, no fundo...

É a mesma coisa.




Se ele existir,
só se conhecendo para conhecê-lo.
(Nem adianta ir pra missa todos os dias)

Se ele não existir,
a sensação que você vai sentir,
quando encontra a si mesmo...

É a mesma sensação que descrevem


Quando falam de Deus.

sábado, 30 de setembro de 2017

A loucura de sermos o que realmente somos

É que a vida, vez em quando

Nos obriga


A puxar o rabo da loucura...





E sair correndo.

sábado, 19 de agosto de 2017

Quando estou em casa, sem nada para fazer

Abro o facebook
Ou o whtasapp...
De vez em quando...

Para me divertir.

E me acabo de rir...
Vendo as opiniões políticas.


Deus meu, quanta doidera.



Rio tanto
Até caírem as lágrimas

Mas aí
Já não é da graça...

E sim...
Provinda de uma serena tristeza.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Você veio a calhar
Veio para calar
Essa minha calamitosa
Agonia.

E agora
Eu já nem sei mais

O que é você...


E o que é poesia.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Não é a sua opinião

É a revolta
Que se revela
Em argumentos
Com ou sem fundamento

Certas revoltas,
digamos,
desnecessárias.




É nisso que estou focado.