domingo, 27 de julho de 2014

A mentira
É só uma versão
Obviamente falsa
Da verdade...

Uma verdade invertida

E, no final das contas, o que mais interessa?
Interessam-se tanto pelas mentiras
Por vezes, tão pequenas...
Que às vezes me sinto um gigante
Que às vezes me sinto um pequeno...
Às vezes revolto, como se a dor não tivesse volta
Às vezes tão manso, que parece que dor nenhuma vai me derrubar...

Mas não acredito em versões...
Da boca para fora,
Serás rei, se quiser
Tudo pode ser dito
Pode ser um pobre
Pode ser um rico
Depende de como contarás suas versão

Mas não bebo versões
Se eu quiser me alimentar, de fato
Só a verdade, do fato, é o que de fato me interessa




Quanto ao resto...








Tudo tornou-se tão banal







Posso até estar equivocado...







Mas é essa a minha versão dos fatos

terça-feira, 22 de julho de 2014

O peixe Peixoto
De família pobre
Morava em um esgoto

Um dia
Conheceu Vera Fish
Casaram-se
Mas não queriam ser
Como quase todos os outros
Que sonhavam em ir para um aquário
Geralmente desses gigantes

Eles dois... Não
Queriam mesmo
Era enfrentar as águas salgadas
Do (a)mar
A imensidão
Longe da zona de conforto

Esse conforto, mas com a liberdade tolhida
Em troca de comida fácil
E uma água limpa...


Mas toda sem gosto...


Sem o tempero da vida
Só existem dois caminhos para a dor

Ficar reclamando,
até quando quiser,
dizendo que nunca passou...

Ou abraçá-la e namorá-la
Para amanhã
parir uma alegria

domingo, 13 de julho de 2014

Posso até ter, vez em quando, essa cara amarrotada, para quem vem de longe, para quem passa...

Mas não é nada não, pode chegar

Tenha certeza absoluta
Que não é nada com você...






É tudo comigo mesmo!

sexta-feira, 11 de julho de 2014

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Sou peão
O que você faz?

Poesia
Tenho medo do escuro...
















De dentro de mim
Perder
E não reclamar da arbitragem

É porque o caso foi grave
Meu coração dispara, diz para, dispara, depois diz para de novo
A encruzilhada se apresenta... De novo
Para onde vou?
Ficar, não compensa
Ir, é muito perigoso
Mas o que é a vida?
Meu coração pensa...


Já tô até com medo

De onde isso vai dar

Já conheço essa química em meu corpo
Essa mímica do Universo


Criando-me asas



para voar
E mais uma encruzilhada se apresenta...




Haja coração!!

terça-feira, 8 de julho de 2014

Peço até perdão

                     pelos efeitos colaterais surtidos...

Mas esconder,
dentro de mim,
o que não me pertence....


               Nunca foi uma habilidade minha

domingo, 6 de julho de 2014

Raiva é o amor...


Em sua forma equivocada

Legião Urbana - Renato Russo - Perfeição

Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões...

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação...

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião...

Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade...

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais...

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E seqüestros...

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã...

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração...

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão...

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada...

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta
De bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção...

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!...

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Gosto do gosto da poesia em minha boca
Do teu sexo dando caldo, dando sopa
Para depois de alguns meses...




Parir vida 

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Não tenho noção do tamanho da imensidão do meu ser, do tamanho da imensidão do Universo...
Mas adoro flutuar nesse espaço, sem gravidade, sem verdades, sem vaidades
Meus erros, já não são tão graves, mesmo que grandes, sem grades
Os perdidos são perdoados, quando o caminho é se encontrarem

Anos-luz de distância, essa ânsia, sem perceberem, de ansiedade...

Quero paz.............................................................Meu caso é grave



Estou grávido de mim


E quero ter esse filho longe daqui
Em algum planeta onde ainda não tenha se plantado verdades...


A anos-luz de proximidade do meu ser



Perto do meu coração selvagem
Não espere perder o medo para seguir em frente...



Muitas vezes,



                                                   só no meio do caminho,




                     é que ele se perderá