sábado, 2 de junho de 2012

Eu bem sei, dói pros dois

Mas dois e dois nem sempre são quatro

na matemática da vida


Nem sempre um mais um são dois,

ainda que hajam duas pessoas

Às vezes sobra, às vezes falta

E nessa análise combinatória,

onde nem sempre as coisas combinam,

o resultado é, simplesmente,

o infinito


É duro enquanto dura

Mas dura mais

quando sentimos o que queremos


A vida não é feita de fórmulas,

nem se aprende na escola

São, apenas, escolhas

E por mais duro que seja,

não encolha


Ainda que hajam duras lágrimas

O que importa é o depois:

um sorriso em seu rosto



E não o medo de reprovar

na matemática da vida

Um comentário:

  1. UM DOS MELHORES QUE VOCÊ JÁ ESCREVEU !!! LINDO ISSO :)

    ResponderExcluir